Resenha: Sobre os ossos dos mortos – por Malu Silva

Sobre os ossos dos mortos, por Olga Tokarczuk  

A leitura da obra de uma vencedora do Prêmio Nobel sempre começa com altas expectativas, e neste caso não foi diferente. Logo que chegou ao Brasil pela editora Todavia, Sobre os ossos dos mortos se tornou tópico de conversa em muitos grupos literários, e fiquei muito feliz quando Pacote de Textos decidiu enviá-lo aos seus assinantes.

Neste livro temos como protagonista a excêntrica Sra. Janina Dusheiko. Ela vive em um vilarejo nos confins da Polônia e possui uma vida pacata como professora de inglês em meio período, além de trabalhar como cuidadora de algumas residências vazias de sua vizinhança. Mas as coisas começam a se agitar quando um de seus vizinhos morre, e assim começa uma sequência de tragédias enigmáticas.

Dentre as coisas que valoriza, como a astrologia e a obra do autor William Blake, com certeza o que se destaca em Dusheiko é o seu grande amor e respeito pelos animais. Isso se evidencia pela relação das tragédias locais e algumas polêmicas envolvendo a caça ilegal de alguns animais, o que deixa Dusheiko inquieta e a faz até mesmo escrever longas cartas para a polícia com suas teorias. É difícil não criar empatia por ela, pois vemos nas pessoas a sua volta um olhar de subestimação, uma vez que ela é tratada pela maioria apenas como uma velha sem importância.

Por ser narrada em primeira pessoa a trama acaba sendo retratada de maneira unilateral, o que é de se esperar em obras que optam por esta modalidade de narração. Porém, isso faz com que o leitor fique ainda mais intrigado com alguns pontos da obra, afinal não é tão fácil enxergar o sentido das coisas apenas pelo olhar da Dusheiko. 

A capacidade da autora de representar os sentimentos de uma senhora forte e perspicaz como Dusheiko é com certeza um dos motivos para tanta gente elogiar Sobre os ossos dos mortos. É um livro que traz questionamentos pertinentes não só sobre as polêmicas envolvendo a caça de animais, mas também sobre as fases da vida, o tempo e a subjugação da mulher. O livro é um prato cheio para quem busca boas reflexões numa leitura, e por isso recomendo. 

Resenha por Malu Silva, do blog Janela Literária

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *